domingo, 20 de janeiro de 2013

Amados pelo Pai


AMADOS PELO PAI

 

“Jesus respondeu e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada.” (João 14:23 RC)

 

01. O capítulo 14 de João talvez seja um dos capítulos mais grandiosos de toda a Bíblia.

02. Digo talvez não porque eu tenha dúvida quanto à sua grandiosidade, e sim porque a Palavra de Deus como um todo é grandiosa, e, quem sou eu para dizer que uma passagem é mais grandiosa que a outra?!

03. Mas o capítulo 14 de João é fantástico!

04. Se conseguíssemos, em uma espécie de êxtase, presenciar tudo o que nos aguarda e que está inserido em promessas desse capítulo, especialmente a promessa de que Jesus voltará e nos levará para estarmos eternamente com ele, onde ele estiver, talvez não voltássemos do êxtase. O nosso coração de carne explodiria de tanto regozijo diante da visão da “glória que em nós há de ser revelada”.

05. Você já parou pra pensar nisso?

06. Estas palavras de Jesus no v. 23 são tremendas. O seu significado ultrapassa a barreira do tempo e adentra a eternidade, fazendo daqueles para quem elas valem eternos abençoados.

a.    Você já imaginou como seria ser alvo da atenção especial por parte dos presidentes, reis e rainhas de todo o mundo?

b.    Já imaginou se todos eles lhe conhecessem pessoalmente e, de vez em quando fizessem uma visitinha a você, como bons amigos e o recebessem em suas casas?

c.    Impossível, não é?

d.    Eles não nos conhecem e nem nós os conhecemos.

e.    Mas Deus, o Deus de toda a Terra, o Rei dos reis, o Senhor dos senhores, Onisciente e Onipresente, lhe conhece, e, em Sua Palavra deixa claro que não quer apenas lhe fazer uma visitinha ocasional; Ele quer ter um relacionamento íntimo com você; Ele quer fazer morada em você. É isso que Jesus diz, no pequenino mas grandioso versículo 23 de João 14: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada.”

07. Façamos uma análise mais detalhada do versículo à luz da Palavra de Deus como um todo.

 

UMA CONDIÇÃO: AMAR A JESUS.

 

08. A primeira coisa que encontramos no versículo é uma condição.

09. Para tudo o mais que o versículo vai dizer ser real em sua vida, é preciso preencher uma condição: amar a Jesus.

10. O amor é a realidade maior que deve estar por trás de todas as coisas.

11. O Apóstolo Paulo escrevendo aos Coríntios, no capítulo 13 da primeira carta diz que se não for fundamentado no amor, uma pessoa pode...

a.    falar as línguas dos homens e dos anjos

b.    ter o dom de profecia,

c.    conhecer todos os mistérios e toda a ciência,

d.    ter uma fé tal que transporte os montes,

e.    distribuir toda a sua fortuna para sustento dos pobres,

f.      entregar o seu corpo para ser queimado...

 

... e ainda assim nada ser; nada disso lhe valer diante de Deus.

12. Alguém disse, e esta é uma verdade, que “o amor é o solo onde medram (crescem) todas as virtudes espirituais”.

13. 1 João 4.7-8 diz: “Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.  Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor.”

g.    Analisando estes versículos de 1 João e os versículos subseqüentes, descobrimos que não saberíamos como amar a Deus, e nem seríamos capazes disso, se Ele não nos tivesse amado primeiro. Porém, uma vez que Ele nos amou primeiro, requer-se de nós que O amemos. Se não O amamos não O conhecemos, não experimentamos a regeneração espiritual.

 

UMA OBSERVAÇÃO IMPORTANTE:

1 João 4 também condiciona o amor a Deus ao amarmo-nos uns aos outros. O versículo diz que  “... quem não ama seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu?”. O amor aos irmãos é como que uma conseqüência do amor a Deus. Se não há amor aos irmãos é porque não há amor a Deus. O amor a Deus leva, necessariamente, ao amor aos irmãos.  

 

14. Você ama a Deus?

15. Você ama a Jesus?

16. Se você o ama, de verdade, então preste bem atenção para algo de que somos informados no texto e que vou chamar aqui de “duas conseqüências”:

 

DUAS “CONSEQÜÊNCIAS”.

 

Primeira “conseqüência”: guardar a Sua palavra

 

17. “Se alguém me ama, guardará a minha Palavra...”, disse Jesus.

18. Se o amamos, guardamos a Sua Palavra;

19. Você ama a Jesus?

20. Se você diz que sim, o seu amor por Jesus passa no teste de “guardar a sua palavra”?

21. Preste bem atenção nisto, porque é muito importante! É questão de “vida” ou “morte”!

22. SE ALGUÉM ME AMA, GUARDARÁ A MINHA PALAVRA, disse Jesus,

23. e isso leva-nos a entender, no sentido contrário, que se, deliberadamente, não guardamos a sua Palavra (não me refiro aqui a alguma falha ocasional e temporária), é porque não o amamos.

24. E se não o amamos, como já vimos,

a.    nada que façamos,

b.    por maior que seja,

c.    por melhor qualidade humana que possua,

d.    nada vale...

e.    nada é...

f.      não passa de barulho sem sentido...

25. Mas o que será que Jesus estava querendo dizer com guardar a sua Palavra?

26. Tem muita gente “guardando” a Palavra...

a.    na estante,

b.    no armário,

c.    na gaveta...

d.    e até no “HD do cérebro”.

27. Mas Jesus estava falando sobre andar em obediência.

28. O lugar daquele que quer ser discípulo de Jesus é na obediência.

a.    E um bom discípulo,

b.    um discípulo prudente,

c.    um verdadeiro discípulo,

d.    não somente obedece quando, por acaso, conhece a vontade do seu Senhor,

e.    mas busca adquirir esse conhecimento,

f.      mesmo porque esta também é vontade de seu Senhor.

29. U Temos que cultivar o mesmo espírito do salmista, que tinha “prazer na lei do Senhor e nela meditava dia e noite”.

30. U Temos que cultivar o mesmo espírito do salmista que “escondia” a Palavra do Senhor em seu coração “para não pecar contra Ele”.

31. U Temos que cultivar o mesmo espírito de obediência de Ananias, Misael e Azarias, três homens que, juntamente com Daniel, há cerca de 2530 anos, quando estavam cativos na Babilônia, resolveram em seus corações permanecerem fiéis a Deus, e fiéis foram mesmo quando ameaçados de serem lançados em uma fornalha de fogo caso não se ajoelhassem diante de uma estátua que Nabucodozor havia mandado fazer. Eles continuaram firmes, e disseram: “... não serviremos a teus deuses, e nem adoraremos a estátua de ouro que levantaste”. E eles foram lançados, mas Deus os livrou de serem queimados.

32. A mente evangélica hoje está passando por uma espécie de processo de desconstrução. Muitos pensam que podem servir a Deus e ao mesmo tempo viver uma completa desconsideração para com a Sua Palavra.

a.    Penso que um pouco da culpa é nossa, é de nós, pregadores, que, ao invés de pregarmos “a Palavra”, como ela mesma nos orienta, estamos pregando um monte de “coisas outras”, segundo a filosofia deste mundo.

                                  i.    Condenar o pecado segundo a Palavra não é mais “popular”;

                                ii.    Chamar o pecado pelo nome e rogar em nome de Jesus, sem rodeios, que a pessoa o abandone, não é mais “popular”;

                               iii.    Pregar o evangelho de forma clara, dizendo que esse evangelho bíblico primeiro tem que “matar” para depois fazer renascer um novo homem, uma nova criatura, não é mais “popular”;

                               iv.    “Popular”, agora, é apregoar o paraíso na terra, sem dificuldade alguma;

                                 v.    “Popular”, agora, é “passar a mão” sobre a cabeça daqueles que estão vivendo em pecado e “aquietá-los” levando-os ao autoengano de que Deus nada vai fazer em relação ao seu pecado;

                               vi.    “Popular” agora é apregoar os princípios de autoajuda que tem inundado as prateleiras das livrarias, inclusive das livrarias evangélicas: “seis passos para isso, 5 passos para aquilo, 10 passos para mais aquilo...”, sendo esses “isso, aquilo e mais aquilo”, apenas coisas que dizem respeito ao bem estar social da pessoa.

                              vii.    Então, a culpa é “de nós”, pregadores, que estamos substituindo a santa e viva Palavra de Deus por coisas como estas.

b.    Mas “vocês” também não são inculpáveis. Vocês também não são inculpáveis porque têm a Palavra, conhecem a Palavra, e, ao invés de protestar, ao invés de questionar, ao invés de conferir, ao invés de dizer “Não! Isso está errado!”, simplesmente aceitam de forma passiva aquilo que vem sendo pregado e que nada tem de Palavra de Deus...

c.    E assim, a mente evangélica hoje vai passando por uma espécie de processo de desconstrução, com muitos pensando que podem servir a Deus e ao mesmo tempo viver uma completa desconsideração para com a Sua Palavra.

33. Mas Jesus diz que nós temos que guardar a sua Palavra.

a.    Se o amamos, guardaremos a Sua Palavra.

b.    Toda a sua Palavra.

c.    Não nos tornaremos inerrantes,

d.    não estaremos livres de quedas,

e.    e não conseguiremos muita coisa sem a ajuda do Espírito Santo,

f.      mas haverá um grande e sincero interesse aliado a um grande e sincero esforço de nossa parte por guardar a sua Palavra.

g.    É uma conseqüência (e uma prova) do nosso amor por Jesus.

 

Segunda “conseqüência”: uma bênção indescritível – seremos objetos de atenção especial de Deus – seu amor se manifestará fazendo de nós a Sua habitação - seremos morada do Deus Triúno.

 

34. “... meu Pai o amará e viremos para ele e faremos nele morada” – São palavras de Jesus.

35. O fato de O Deus Triúno morar em nós traz-nos grande responsabilidade.

36. Depois do ponto anterior não carece dizermos mais muita coisa sobre isso, mas vamos destacar alguns trechos bíblicos que demonstram essa responsabilidade:

 

“Ou não sabeis que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus.” (1 Co 6:19-20 RC)

 

“Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo.” (1 Co 3:16-17 RC)

 

“E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. Pelo que saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-poderoso. Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus.” (2 Co 6:16-7:1 RC)

 

37. Mas também o fato de O Deus Triúno morar em nós é fator identificador de que fomos alcançados pela riquíssima misericórdia e amor de Deus em Cristo Jesus, e agora,

a.    nós que outrora estávamos mortos, espiritualmente, fomos vivificados,

b.    nós que outrora estávamos mortos, espiritualmente, fomos ressuscitados,

c.    nós que outrora estávamos mortos, espiritualmente, fomos elevados aos lugares celestiais em Cristo Jesus,

d.    nós que outrora estávamos mortos, espiritualmente, FOMOS SALVOS.

38. Romanos 8.9 diz,

a.    num sentido negativo, que “quem não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é Dele”.

b.    Num sentido positivo, fica subentendido que o contrário também é verdade, ou seja: quem tem o Espírito de Cristo pertence a ele; quem é “habitado” pelo Espírito Santo pertence a Deus.

39. II Coríntios 1.22 e 5.5 diz que a presença do Espírito em nós é selo e penhor.

40. O mesmo diz Efésios 1.13 e 14: “em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa; o qual é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão de Deus, para louvor da sua glória.”

 

 

Conclusão

 

41. O chamado que Jesus faz a nós é para amá-lo.

42. Amá-lo implica em guardar as Suas palavras.

43. Seremos amados pelo Pai e seremos feitos morada do Deus Triúno.

44. Você ama a Jesus?

45. Tem guardado as Suas palavras?

46. Tem procurado aprender mais sobre a vontade de Deus para obedecê-la?

47. ..

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves

Nenhum comentário:

Postar um comentário